Visita Extraordinária a Manique: comunhão e unidade

A Visita do Conselheiro do Reitor-Mor, Pe. Gildásio Santos, a Manique aconteceu entre os dias 14 e 20 de maio. Na sua apresentação, o Pe. Gildásio Mendes explicou os principais objetivos da Visita Extraordinária: criar comunhão e unidade entre o Reitor-Mor e cada um dos irmãos que vivem e trabalham na Obra Salesiana de Manique, e ao mesmo tempo verificar como a Comunidade Salesiana procura colocar em prática as orientações emanadas do Capítulo Geral dos Salesianos.

Para isto, houve vários encontros, com os mais diversos grupos que compõem a Comunidade Educativo-Pastoral de Manique, entre eles destacam-se: colóquio pessoal com os salesianos, a Família Salesiana, o Conselho da CEP, os Professores e funcionários da Escola, a Equipa de Pastoral e os jovens.

Neste ano pastoral, foi confiada aos Salesianos a Paróquia de Alcabideche. Assim sendo, os párocos, Pe. Juan Freitas e o Pe. Manuel Mendes, guiaram o Pe. Gildásio numa visita de reconhecimento do território e da realidade paroquial.

Particular relevância teve o dia 15 de maio, quando o Visitador foi a Fátima, acompanhado pelo Pe. Manuel Mendes, diretor da Comunidade, pelo Pe. Agostinho Silva e o clérigo Fabrício Souza. Foi uma oportunidade para que o Visitador dali pudesse presidir à Celebração Eucarística da Peregrinação da Família Salesiana. Foi um dia de bastante entusiasmo, quer para o Pe. Gildásio quer para a Família Salesiana.

Na sua mensagem destacou a importância de Maria para a vida cristã e, de maneira particular, para a vida da Família Salesiana. Ressaltou, aos que se encontravam presentes, que Maria é o modelo da Esperança e, tal como na vida de Dom Bosco, Ela continua a guiar cada um dos seus filhos a Jesus Cristo. Reforçou ainda que Dom Bosco, no final da sua vida, reconheceu a presença de Maria que o guiava – mesmo nos momentos mais difíceis – e deste modo, chegou à conclusão de que «foi Ela quem tudo fez».

Leia também  Missionários: Onde o sangue gera vida

Por fim, o Visitador relacionou o contexto da aparição de Fátima (em vias da conclusão da 1.ª Guerra Mundial, 1917) e o contexto atual de pandemia em que nos encontramos, a fim de evidenciar que Maria está sempre presente na vida da humanidade sofrida. Concluiu dizendo que o povo português é um povo privilegiado, pois foi agraciado com uma presença tão particular, como foi a de Nossa Senhora em Fátima.

Ao longo da visita uma ideia foi repetida nos seus discursos: “É preciso existir e aprofundar cada vez mais a relação entre a Pastoral, o Pedagógico e o Psicopedagógico”. Segundo o Pe. Gildásio, este tríplice elemento constitui a dinâmica de uma obra salesiana.  

No seu encontro com os jovens evidenciou a importância das artes, seja pelo facto de ser algo muito apreciado pelos jovens, seja pelo facto de ser um nobre instrumento de educação e de evangelização. Com as artes são os jovens a assumirem o protagonismo e, com elas, veiculam-se valores, saberes e princípios.

A visita do Pe. Gildásio concluiu no dia 20 de maio, com a leitura do relatório, no qual apresentou à Comunidade Salesiana os elementos fortes e, ao mesmo tempo, lançou alguns desafios a terem em consideração, no processo de implementação das orientações do Capítulo Geral 28 e no caminho de fidelidade ao carisma salesiano.

Artigos Relacionados