fbpx

Carta do Reitor-Mor ao Papa Francisco

Salesianos > Documentos > Carta do Reitor-Mor ao Papa Francisco

Santo e Beatíssimo Padre,

eis-me com esta missiva à Sua presença para manifestar-Lhe os sentimentos de homenagem e bons votos da Congregação e de toda a Família Salesiana, por Sua eleição a Bispo de Roma e a Sumo Pontífice. Escrevo a Vossa Santidade no dia do solene início do Seu Pontificado, que almejo duradouro e repleto das bênçãos de Deus. Como estávamos convencidos de ter em Bento XVI um grande Pastor, do mesmo modo rendemos agora graças a Deus por ter-nos dado um outro grande Pastor na pessoa do seu Sucessor, exatamente em Vossa Santidade, amadíssimo Papa Francisco.

Neste momento, como cristãos e religiosos salesianos, enquanto lhe queremos expressar a nossa alegria por sua eleição, renovamos-Lhe a nossa fidelidade, assegurando-Lhe o respeito filial herdado de Dom Bosco. Ele com frequência exprimia-se com frases densas de afeto e de fé relativamente ao Sucessor de Pedro.

Quem está unido ao Papa, está unido a Cristo! (MB VIII,567)

Seremos obsequiosíssimos à Cátedra Apostólica em tudo, em todo o tempo, em todo o lugar, aonde nos chamar o Senhor (MB XV,249).

Um pedido do Papa é para mim uma ordem (MB V,874).

A sua palavra deve ser a nossa regra, em tudo e para tudo (MB VI,494).

Assim falava o nosso Fundador Dom Bosco e assim quer sentir o nosso coração, hoje.

Quero dizer-Lhe, Santidade, que, imediatamente após o anúncio da Sua eleição, foi para mim espontâneo recordar com alegria a belíssima e inesquecível experiência de Igreja, em Aparecida, em maio de 2007, onde tive a graça de conhecê-Lo e saudá-Lo pessoalmente. Juntos participámos nos trabalhos, nas celebrações e nos encontros da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe; encontramo-nos igualmente para a reunião com os Bispos argentinos, presidida por Vossa Santidade, com a finalidade de definir o lugar e as modalidades da beatificação do então Venerável Zeferino Namuncurá. Nunca poderei esquecer as Suas palavras cheias de estima pelo trabalho dos meus Irmãos Salesianos na Patagônia, e da Sua intervenção para que fosse Chimpay a sede daquela celebração.

Conheço muito bem a Sua proximidade afetiva aos Salesianos, especialmente aos da Comunidade de Almagro, onde se encontrava o P. Enrique Pozzoli, que foi Seu diretor espiritual, e o P. Lourenço Massa, fundador do clube de futebol São Lourenço. Apreciei muito o Seu testemunho acerca do nosso Irmão Coadjutor, Bv. Sr. Artêmides Zatti, quando era Vossa Santidade Provincial dos Jesuítas, e a Sua paternidade quando Pastor da Arquidiocese de Buenos Aires, para com os nossos Coirmãos. Sempre me encheu de alegria a Sua conhecida devoção a Nossa Sra. Auxiliadora, relembrada por tantos dos nossos Irmãos.

Desde o momento de Sua eleição e apresentação, ficámos fascinados pelo nome assumido como Pontífice, que muito bem revela alguns dos traços da Sua pessoa e anuncia um programa de renovação da Igreja, restituindo-a à sua verdadeira identidade e ao Evangelho, através da simplicidade, da austeridade, mantendo fixo o olhar no Senhor Jesus.

Acolhemos, Santidade, e o fazemos nosso, o Seu augúrio de ter “coragem, exatamente a coragem, de caminhar na presença do Senhor, com a Cruz do Senhor; de edificar a Igreja no sangue do Senhor, que se derrama na Cruz; e de confessar a única glória: Cristo Crucificado. Que assim a Igreja irá para a frente.”

Na fidelidade à Igreja e ao nosso Fundador Dom Bosco, acolhemos este Seu convite, Santidade, e Lhe prometemos tê-lo sempre presente na nossa vida pessoal, nas nossas escolhas pastorais e nas nossas programações apostólicas.
Asseguramos-Lhe a nossa oração. O Espírito Santo O assista no delicado ofício que a Providência Lhe quis confiar, e que a Virgem Maria seja sempre a grande Auxiliadora do Seu Ministério.

Com esta carta enviamos-Lhe, como sinal de proximidade, uma estátua de Nossa Senhora Auxiliadora. Seria um grande dom para todos nós ter Vossa Santidade presente num dia 24 de maio, em Turim, na Basílica de Nossa Sra. Auxiliadora, construída com tanto amor pelo santo Dom Bosco. Em 2015, quiçá, ao celebrarmos o II Centenário de seu Nascimento.

Em espírito de filial obediência, proclamamos-Lhe hoje e sempre a nossa afetuosa devoção.
Roma, 19 de março de 2013

P. Pascual Chávez Villanueva
Reitor-Mor dos Salesianos de Dom Bosco

Artigos Relacionados