Seminário reflete sobre acompanhamento vocacional a partir da figura do padre José Cafasso

Nos dias 3 e 4 de outubro realizou-se em Valdocco-Turim, o seminário de acompanhamento espiritual ao serviço do discernimento vocacional, sob o tema “Se fiz algo de bom, devo-o ao Padre Cafasso”. Estiveram presentes Salesianos, Filhas de Maria Auxiliadora e colaboradores leigos na missão salesiana da Região Mediterrânea, que inclui Espanha, Itália, Médio Oriente e Portugal.

Os salesianos da Região Mediterrânea – dando continuidade ao trabalho do sínodo da Igreja sobre os jovens, e na conclusão do projeto de animação vocacional com a publicação do “Pano Bom” –, quiseram focar a atenção nos jovens entre os 18 e os 30 anos chamados a tornarem-se adultos, respondendo à sua vocação. Foi também focada a abordagem à vida adulta a partir da arte do discernimento como método e atitude de escuta profunda do desejo, da própria vida e da Palavra de Deus, sendo guiados pelo carisma e sabedoria daqueles que hoje acompanham os jovens no seu crescimento.

O seminário focou-se no acompanhamento vocacional partindo da experiência de D. Bosco com o Pe. José Cafasso. Nas várias conferências, abordaram-se temas como: “Os traços de uma identidade adulta como chave vocacional”, apresentado pelo Pe. Gustavo Cavagnari, Professor de Teologia Pastoral na Universidade Pontifícia Salesiana, de Roma. Na sua palestra sublinhou a importância de não relativizar outras questões relacionadas com o “como”, o “quando”, o “onde” ou o “com quem”. No entanto a questão principal, em torno da qual gira a discussão sobre a pastoral juvenil, diz respeito ao “porquê”. É precisamente o “porquê” que oferece o motivo e define a intencionalidade da ação pastoral.

Outro tema abordado foi “A dinâmica da escolha para se tornar um adulto”, apresentado pelo o Pe. Gaetano Piccolo, sj, Professor na Pontifícia Universidade Gregoriana, que disse que escolher não é uma opção na vida. Justamente por essa razão, o discernimento é o estilo essencial do ser humano, mesmo antes do cristão. Na verdade, o discernimento refere-se a algumas características que permitem que cada um viva a sua vida ao máximo: consciência, liberdade e responsabilidade.

Leia também  Fundação Salesianos: Mais de 7500 alunos têm acesso à Escola Virtual

Refletiu-se também com o Pe. Fabiano Cheller, Delegado de Animação Vocacional da Província Salesiana do Piemonte e Vale d’Aosta, sobre o tema “D. Bosco acompanhado pelo Pe. Cafasso”. Examinando alguns escritos de D. Bosco, em que recorda como se permitiu ser guiado nesse processo, o sacerdote Fabiano Cheller abordou quais foram os momentos em que D. Bosco foi guiado, quais as suas atitudes e as características do seu guia, o Pe. Cafasso.

A partir de diretrizes do magistério da Pastoral Juvenil Salesiana e Acompanhamento, o Pe. Francesco de Ruvo, sdb, apresentou a linha de ação de uma “Escola Salesiana de Acompanhamento Espiritual”.

E, por fim, foi tratado no seminário o tema “Realização de leitura carismática” com o salesiano Pe. José Miguel Nuñez, que lembrou que o acompanhamento vocacional não é nada mais do que um itinerário do coração que encontra Cristo Jesus Ressuscitado e descobre nele a razão de sua existência. A resposta, no seu entender, só pode ser a adesão a Deus em seguir o Filho, a ponto de dar a sua vida por amor.

Foi possível também conhecer algumas figuras significativas da espiritualidade salesiana: os Veneráveis Pe. Vicente Cimatti e Pe. José Quádrio, e o jovem mártir Beato Bartolomé Blanco Márquez.

Neste seminário houve também momentos de reflexão e partilha em grupo, e momentos de debate e discussão sobre como acompanhar os jovens até à idade adulta.

O Reitor-Mor, Pe. Ángel Fernández Artime, presidiu à Eucaristia que concluiu o seminário, celebrada no Santuário da Consolata.

Artigos Relacionados