Novo Itinerário Emaús

Pe. Rui Alberto apresenta Novo Itinerário da Catequese no programa da RTP 2 “A Fé dos Homens”

O Diretor Editorial da Salesianos Editora esteve no programa Ecclesia, transmitido na RTP 2, a apresentar o Novo Itinerário Emaús da Catequese em Portugal. “Catequese não é instrução religiosa. É, e quer ser, uma verdadeira iniciação a esta experiência alternativa que é acreditar no Evangelho”, defendeu.

O Diretor Editorial da Salesianos Editora, Pe. Rui Alberto, foi entrevistado pela Ecclesia, para o programa “A Fé dos Homens” da RTP 2, emitido no dia 21 de fevereiro.

A transmissão da fé às novas gerações tem um novo itinerário, aprovado pela Conferência Episcopal Portuguesa em 2022, e que desde o ano passado está a ganhar forma nos novos catecismos que estão a ser desenvolvidos pela Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé, através do Secretariado Nacional da Educação Cristã e da Salesianos Editora.

Reformular a catequese é um objetivo para a Igreja com alguns anos, lembrou o Diretor Editorial da Salesianos Editora que está a trabalhar com o Secretariado Nacional da Educação Cristã no desenvolvimento do Novo Itinerário de Vida Cristã “Emaús”.

Novo Itinerário Emaús
Reformular a catequese

As novidades começam pela própria organização dos conteúdos. A diferença é, na opinião do Pe. Rui Alberto, que trabalhou os novos materiais catequéticos, qualitativa.

Se até agora o percurso da catequese era organizado em 10 anos, de forma sequencial, com conteúdos diferentes, no novo itinerário foram definidos quatro tempos: Despertar a Fé, Iniciação à Vida Cristã, Aprofundamento Mistagógico e Discipulado Missionário. “Há tempos em que o objetivo é a proposta. Há outros tempos, como este em que aparece este conteúdo, o do Aprofundamento Mistagógico, em que a ideia é a captação, a absorção, a aprendizagem. Em que o catequizando é muito mais protagonista na construção da sua própria identidade de fé”, explicou.

Leia também  Isto não é um chapéu…

Outra novidade do itinerário é o alargamento da catequese às famílias. “Acho que hoje há um consenso grande na Igreja, isto é, dos Bispos até ao catequista mais de base, de que catequese não é instrução religiosa. É, e quer ser, uma verdadeira iniciação a esta experiência alternativa que é acreditar no Evangelho”, defendeu.

Na opinião do sacerdote não se trata apenas de uma novidade editorial, o itinerário “Emaús” é o resultado de um processo de discernimento. “Nós estamos a mudar não só os materiais catequéticos, estamos a mudar todo o horizonte”, afirmou na entrevista que pode ser vista em RTP Play.

O itinerário inclui também materiais para cada encontro, o livro do catequizando, onde a dimensão pedagógica é reforçada, e o guia do catequista.

Artigos Relacionados