Paraguai: “A terra que muitos corações desejam”

Salesianos do Paraguai celebram 125 anos. A 23 de julho de 1896 desembarcaram no Paraguai os quatro salesianos que inauguraram a presença salesiana no país.

Em 1894, D. Luís Lasagna – ordenado Bispo em Roma um ano antes – escreveu ao Pe. Miguel Rua, I Sucessor de Dom Bosco, afirmando: “O Paraguai é a terra que muitos corações salesianos desejam, e é o lugar onde, sem dúvida, o mais vasto campo se abrirá ao zelo e ao trabalho árduo da Congregação”.

Aquela foi uma visão profética, que começou a concretizar-se dois anos depois, em julho de 1896, quando os primeiros quatro salesianos chegaram ao Paraguai para ocupar instalações cedidas pelo governo. Acolhidos com alegria pela população e pelas autoridades, os salesianos inauguraram a Escola de Artes e Ofícios, aproximando-se assim dos jovens paraguaios.

Os primeiros salesianos desembarcaram no país há 125 anos, mais precisamente no dia 23 de julho de 1896.  Os salesianos foram calorosamente acolhidos pela população e pelas autoridades eclesiásticas e nacionais, abrindo, então, os primeiros sulcos no campo sempre fértil e vasto do mundo juvenil. Celebram-se este ano 125 anos.

Em 1897, o Pe. Rua escreveu: “Com grandes sacrifícios, quisemos realizar, ao menos em parte, os ardentes desejos de D. Luís Lasagna, enviando alguns salesianos para Assunção, capital do Paraguai”.

Sem dúvida, o grande Bispo D. Luís Lasagna teria gostado de acompanhar e presidir pessoalmente a primeira expedição; mas isso não foi possível devido à tragédia que o vitimou em Juiz de Fora, no dia 6 de novembro de 1895.

Mas os seus planos não morreram com ele. O Pe. Gamba decidiu continuar a obra salesiana no Paraguai em seu nome e, como monumento perene à memória do bispo prematuramente falecido, deu à nova fundação o nome de “Colégio Monsenhor Lasagna”, sob o patrocínio de São Luís. A partir daquele momento, os desejos apostólicos de São João Bosco começaram a tornar-se realidade também no Paraguai.

Leia também  Associação de Pais: Presidente da República nos Salesianos do Estoril

Entre 1896 e 1946, a presença no país dependia primeiro da província “San José” do Uruguai e depois da província “Nuestra Señora del Rosario” do norte da Argentina, entre 1946 e 1954. A criação da nova província paraguaia, com o título “Nuestra Señora de la Asunción”, foi decretada pelo Reitor-Mor dos Salesianos, Pe. Renato Ziggiotti, a 8 de setembro de 1954.

As obras iniciadas pelos primeiros salesianos, com a bênção de Deus e de Maria Auxiliadora, deram muitos frutos ao longo destes anos e continuarão a produzir inúmeros bons frutos ao longo do tempo.

Cardeal salesiano Cristóbal López Romero, Arcebispo de Rabat, Marrocos, preside à Eucaristia dos 125 anos de presença salesiana no Paraguai na Catedral de Assunção

São atualmente 70 os Salesianos e 11 as obras salesianas no país: escolas, paróquias, oratórios, estações missionárias, um centro de assistência para crianças de rua, o Instituto Superior Salesiano de Estudos Filosóficos Dom Bosco na capital Assunção. Hoje, toda a Família Salesiana continua ativa e vigorosa em várias partes do Paraguai, graças ao caminho aberto por D. Lasagna, que foi “o melhor representante do génio de Dom Bosco nas nações que lhe foram confiadas”.

O Cardeal salesiano Cristóbal López Romero, Arcebispo de Rabat, Marrocos, presidiu à Eucaristia dos 125 anos de presença salesiana no Paraguai na Catedral de Assunção. D. Cristóbal López, natural da Andaluzia, serviu a Congregação durante vários anos no Paraguai, entre 1984 a 2003, e foi Provincial do país entre 1994 e 2000. Na homilia deixou a sua mensagem aos salesianos: “Olhar o passado com gratidão, viver o presente com paixão e abraçar o futuro com esperança”.

Publicado no Boletim Salesiano n.º 588 de Setembro/Outubro de 2021

Torne-se assinante do Boletim Salesiano. Preencha o formulário neste site e receba gratuitamente o Boletim Salesiano em sua casa.

Faça o seu donativo. Siga as instruções disponíveis aqui.

Artigos Relacionados