Índia: Projeto salesiano apoia estudantes de famílias migrantes

Se não houver igualdade de oportunidades, não há uma verdadeira igualdade de direitos entre as pessoas. Por esta razão é tão importante o trabalho da ONG BREADS, da Província Salesiana de Bangalore, na Índia, que através do seu projeto “Don Bosco KISMAT” trabalha pelo bem-estar, proteção e desenvolvimento social dos migrantes, presentes em Kerala. A história de Payal Kumari é um exemplo desse trabalho.

Payal Kumari é uma aluna do Instituto Feminino “Mar Thoma” de Perumbavoor, no estado de Kerala, onde vive há anos com a família. Sempre se distinguiu nos estudos e é apreciada pelos seus professores que a têm apoiado e orientado.

O seu pai, Pramod, é jornalista, natural do estado de Bihar. Mudou-se para Kerala para trabalhar. Quando era criança teve de abandonar a escola mais cedo e é por isso que hoje luta para assegurar que os seus filhos tenham acesso a uma educação adequada.

Com o advento da pandemia e o consequente confinamento, os problemas aumentaram para Payal. Para além de ter de lidar com a desconfiança da população local, Payal sentiu também a ansiedade, o medo e a deceção por não ter acesso ao ensino à distância, devido à falta de materiais, instrumentos básicos e dispositivos tecnológicos.

Foi nesse momento que interveio o projeto “KISMAT” que, nas suas atividades, identificou 314 crianças e jovens migrantes que estudavam em escolas estatais e que não tinham qualquer possibilidade de frequentar as aulas online. De acordo com as suas necessidades, foram-lhes fornecidos Smart TVs, smartphones, livros, cadernos e bolsas com kits de alimentação, entre outros artigos.

Payal fazia parte do grupo. Graças ao apoio recebido, obteve um Bacharelado em Arqueologia e História na “Universidade Mahatma Gandhi” de Kerala, em 2020, sendo considerada uma das melhores alunas da sua licenciatura.

Leia também  Roma: Salesianos no Sínodo

Payal reconhece com orgulho: “O resultado que alcancei pertence ao meu pai, que trabalhou arduamente para poder pagar as contas. Foram muitas as dificuldades que teve de enfrentar na vida, mas nunca desejou comprometer a educação dos seus filhos”.

Apesar de todas as dificuldades que teve de enfrentar, só porque era filha de um migrante, Payal Kumari nunca desanimou. Agora gostaria de fazer um Mestrado em História e Arqueologia e também preparar-se para os exames de Serviço Civil.

Artigos Relacionados