JMJ: Comunicação de grandes Eventos

JMJ e a comunicação de grandes eventos

Qualquer evento requer um planeamento e uma estratégia bem delineada, para fazer face aos muitos fatores com os quais lidar, nomeadamente, logística, patrocínios, entre outros.

A comunicação é, sem dúvida, um dos aspetos fundamentais na preparação e desenvolvimento destes grandes eventos. Tal como outros eventos, também a Jornada Mundial da Juventude conta com uma enorme variedade de pessoas que trabalham nas mais diversas áreas, sendo, por isso, importante que exista coesão ao nível da comunicação, externa e interna.

A comunicação deve ser coerente e transparente, em harmonia com a estratégia global do evento, e, no caso da Jornada Mundial da Juventude, com a sua missão e os seus valores. Para isso, é importante começar por elaborar um bom plano de comunicação, que identifique o público-alvo; que diga como será feita a divulgação do evento, em que plataformas e em que datas deve haver comunicação, por exemplo.
Optar por uma comunicação que envolva, imediatamente, o público-alvo é o primeiro passo para conseguir uma ligação forte e quase automática com os destinatários. Contar uma boa história é fulcral, pois é importante que o público se envolva com o evento, absorva as mensagens e queira fazer parte daquela experiência.

Comunicação integrada nas redes sociais

Graças às redes sociais, a forma de construir relações com o público alterou-se, abrindo a possibilidade de uma comunicação bilateral e interação entre pessoas e organizações. Esta interação com o público, assente numa presença digital que integre várias plataformas, é essencial para uma comunicação de sucesso.

Mais do que websites, blogs e redes sociais, hoje em dia, a estratégia de comunicação digital de um grande evento deve incluir outras plataformas e canais como podcasts, vídeos, webinars ou mensagens instantâneas, para criar e reforçar uma relação com o público. No caso da Jornada Mundial da Juventude ou da maioria dos eventos que realizamos, uma vez que o nosso público-alvo são os jovens, é essencial essa aposta no digital. Desta forma será possível, não só fazer a promoção do evento, como também promover a reflexão em torno de temas importantes.

Leia também  Dia Mundial das Comunicações Sociais: “Escutar com o ouvido do coração” 

Mas, com essa variedade de canais, e de forma a reforçar a mensagem que pretendemos passar, é importante apostar numa estratégia de comunicação integrada. Isto significa que em todos os nossos canais (Facebook, Instagram, website, etc.), a linguagem deve ser comum, assim como as mensagens, permitindo passar uma imagem consistente e credível, e fazendo com que o público retenha as mensagens, garantindo uma maior e melhor compreensão.

Em conclusão, com uma comunicação integrada é possível uma melhor consolidação da marca a comunicar; estratégias de comunicação mais eficientes; bem como apostar na união dos colaboradores, que trocam mais ideias e estão mais conectados, estreitando, assim, as suas relações.

Dar protagonismo aos jovens

De forma a fortalecer a nossa estratégia para comunicar este momento, é necessário que consigamos chegar aos jovens da melhor forma possível. Assim, será importante seguirmos tendências, estarmos onde eles estão. Por outro lado, a chamada geração Z, não só consome o que lhe é passado como produz, opina e partilha as suas ideias, não tendo dúvidas relativamente às suas preferências. Perante estas constatações a aposta numa comunicação bilateral, com ferramentas que permitam dar protagonismo aos jovens, escutando o que têm para dizer, reveste-se de especial importância.

Foto: Agência Ecclesia

Artigos Relacionados