Um ano de sonhos vindos do alto

Mensagem do Reitor-Mor aos leitores do Boletim Salesiano.

Caros amigos e amigas: 2024, um ano verdadeiramente especial porque recordamos o bicentenário do Sonho dos 9 anos de Dom Bosco, um sonho-visão e uma premonição daquilo que deveria fazer no decurso da sua vida.

Sessenta e dois anos depois, ao celebrar a sua primeira e última missa na Basílica do Sacro Cuore de Roma, consagrada dois anos antes, Dom Bosco comoveu-se até às lágrimas mais de 15 vezes porque, como num filme em rápida sucessão, via passar todas as cenas da sua vida, compreendendo que havia sido sempre guiado pela Divina Providência e em particular conduzido pela mão da Auxiliadora, ao ponto de dizer: “Foi Ela quem tudo fez”.

Aquela passagem de ano de 1862

Esta comemoração leva-me a pensar numa passagem de ano significativa na vida de Dom Bosco.
Trata-se do dia 1 de janeiro de 1862. As Memórias Biográficas narram que Dom Bosco, doente, anunciou que tinha uma importante notícia a dar a todos os habitantes do Oratório, grandes e pequenos. «Não se pode descrever a comoção, causada pela promessa de Dom Bosco, que entretanto agitava todos os rapazes. Com que impaciência passaram a noite e o dia seguinte! Com que ansiedade aguardaram pela noite para ouvir quanto lhes diria o bom pai!», narra o padre Lemoyne. «Finalmente, depois das orações, os rapazes em silêncio profundo aguardaram Dom Bosco, que subindo à cátedra desvendou o mistério e disse: «O lema que vos dou não é meu. Que diríeis se Nossa Senhora vos dissesse, a cada um, uma palavra? Se Ela tivesse preparado para cada um o seu bilhete para lhe indicar aquilo de que ele mais precisa, ou aquilo que Ela quer dele? Pois bem, é mesmo assim. Nossa Senhora dá o lema a cada um! Penso que alguns quererão saber e perguntarão: – Como aconteceu isso? Dom Bosco é o secretário de Nossa Senhora? – Eu respondo: não vos digo nada mais do que isto que vos disse. Os bilhetes escrevi-os eu, mas como isso aconteceu não posso dizê-lo: e nenhum de vós me pergunte, porque me meteria em apuros. Cada um contente-se por saber que o bilhete vem de Nossa Senhora. É uma coisa singular! Há 20 anos que peço esta Graça e finalmente obtive-a. Cada um de vós, portanto, considere esse aviso como se viesse da Virgem Maria. Vinde por isso ao meu gabinete e darei a cada um o seu bilhete». Dom Bosco podia dizer isto porque ele mesmo havia recebido de Nossa Senhora, aos nove anos, a mensagem que marcaria todo o decurso da sua vida.
Então, continuando a narração daquela mesma noite, os salesianos começaram a passar pelo gabinete de Dom Bosco para receber o seu bilhete. Muitos revelaram-no. O que era endereçado ao padre Bonetti, que escrevia a crónica diária, dizia: Toma nota do número dos meus filhos. O bom padre transcreveu na sua crónica tal recomendação e acrescentou-lhe: «Vós, minha dulcíssima Mãe, que me destes um tão querido conselho, dai-me também os meios para o pôr em execução, e fazei que eu anote verdadeiramente este belo número, mas que nele esteja eu também incluído».
O do padre Rua dizia: «Recorre a mim com confiança nas necessidades da tua alma».
Posso facilmente imaginar como Dom Bosco sabia chegar ao coração de cada salesiano e de cada rapaz do Oratório, não com uma invenção, mas com a convicção profunda daquilo que Nossa Senhora queria para cada um deles, e ao mesmo tempo conseguia fazê-lo daquele modo em que Dom Bosco foi sempre um verdadeiro mestre e um verdadeiro génio: refiro-me à arte do encontro pessoal, do diálogo, do olhar que chega ao fundo do coração.
E ao ler isto, perguntei-me se não seria possível que nos acontecesse a nós. Enviámos cartões de boas festas a muitas pessoas. Se Maria Santíssima tivesse enviado um cartão de boas festas à Congregação Salesiana e a cada um de nós, à bela e grande Família Salesiana, família de Dom Bosco, o que teria escrito?

Leia também  Casa Dom Bosco, Magdalena: Salesianos do Peru acolhem jovens migrantes venezuelanos
Caminhar com Dom Bosco

É belo imaginá-lo. Asseguro-vos que na minha imaginação há tantas coisas belas que Nossa Senhora poderia pedir-nos quer pessoalmente quer como família de Dom Bosco, nascida para acompanhar os rapazes e as raparigas do mundo – sobretudo os mais pobres e necessitados – no seu processo de crescimento, amadurecimento, transformação…
O mistério do novo ano, que no fundo desenvolve o mistério do Natal, diz-nos: «Não estás condicionado pelo passado. Hoje mesmo podes recomeçar do início, porque em ti há algo de novo. Toma nos braços o divino Menino, que te põe em contacto com toda a novidade que está à disposição, genuína e intacta, na tua alma. Recomeça pelos pequenos, pelos jovens. Tem confiança na novidade em ti! Cada dia é o primeiro dia».
Bom ano 2024 com os meus melhores votos para cada um de vós e vossas famílias. Que seja um bom ano para todos nós e um ano de Paz para esta humanidade ainda tão sofredora.

Torne-se assinante do Boletim Salesiano. Preencha o formulário neste site e receba gratuitamente o Boletim Salesiano em sua casa.

Faça o seu donativo. Siga as instruções disponíveis aqui.

Artigos Relacionados