Pe. Filiberto González em entrevista: “O Boletim Salesiano é uma revista alternativa que informa e envolve os leitores na missão salesiana”

O Pe. Filiberto González, Conselheiro-Geral para a Comunicação Social, está a preparar o Encontro Mundial do Boletim Salesiano. Em entrevista à Agência de Notícias Salesiana, refere as atividades que estão programadas para os dias 26 a 29 de maio.

“Comunicar para envolver na missão. Entre imprensa e cultura digital”. Porquê este tema para o encontro dos Diretores do Boletim Salesiano (BS)?

Porque o BS, como todas as revistas do mundo, está a passar pela transição da edição impressa para a digital. Queremos fazer essa mudança respeitando os nossos leitores e também respeitando a identidade da revista, que, na mente e no coração do seu fundador, S. João Bosco, foi concebida para divulgar o que a recém-fundada Congregação estava a fazer, na Itália e no estrangeiro, a favor da evangelização e da educação dos jovens mais necessitados, procurando envolver nessa missão o maior número possível de benfeitores e simpatizantes.

Falemos de números: quantas edições, quantas línguas e quantas revistas são impressas por ano?

Começo por dizer que o BS impresso está presente em 132 países do mundo, em 66 edições, lidas em 31 idiomas, com diferentes edições de acordo com as possibilidades das Províncias. Estamos a falar de milhões de revistas em papel todos os anos, sendo a edição italiana a mais significativa, com 300.000 exemplares mensais e mais de 3 milhões por ano. Perguntou apenas sobre o BS impresso, mas temos também o BS digital, o que amplia enormemente o número de leitores de boas notícias.

Quem são os oradores que vão participar neste importante evento?

Contamos com a participação de especialistas em diversas áreas. Em primeiro lugar, o Reitor-Mor, Pe. Ángel Fernández Artime, que como Sucessor de Dom Bosco é o editor do BS, Pe. Francesco Motto, conhecido historiador salesiano, Natasa Govekar, Diretora do departamento teológico-pastoral da Secretaria de Comunicação da Santa Sé, os jornalistas Nicola Zamperini e Sandro Cristaldi, José Beltrán, Diretor da revista ‘Vida Nueva’, e Esteban Lorenzo, Diretor de Produtos e Comunicação Digital da editora salesiana Edebé. E haverá depois a apresentação das boas práticas do BS da Argentina, da Etiópia, da França e de Portugal.

Leia também  Recordar o Pe. Paulo Albera, Sucessor de Dom Bosco

O BS é atual, tanto em papel quanto em formato digital?

Entre os 50 participantes de diferentes países do mundo, estamos convencidos da importância do BS como revista institucional, procuramos por isso reafirmar a sua identidade, a sua relevância social e a centralidade das pessoas, estando atentos às dinâmicas sociais, culturais e tecnológicas do momento. Neste sentido, somos uma revista alternativa que informa, molda e envolve os seus leitores na missão educativa dos jovens e dos setores populares.

O que Dom Bosco diria aos salesianos de hoje sobre o BS?

Em primeiro lugar, respondo com as palavras deixadas pelo próprio Dom Bosco na sua carta sobre a difusão de bons livros: “Peço-lhes que não negligenciem esta parte muito importante da nossa missão”. E concluo com as palavras do Pe. Egídio Viganò, VII Sucessor de Dom Bosco: “Se hoje a ruptura entre o Evangelho e a cultura é exacerbada pela comunicação superficial, religiosamente desinformada e muitas vezes ideologizada, é necessário colaborar em favor de uma força educativa que molda a mentalidade, e criar cultura, como uma autêntica escola alternativa”.

Artigos Relacionados