Ucrânia: “Não deixaremos ninguém para trás”, prometem salesianos depois de 20 meses de guerra

“Os salesianos nunca voltarão as costas às pessoas que sofrem com o conflito, que infelizmente não termina e continua a provocar vítimas inocentes”, explica o Pe. Mykhaylo Chaban, Superior da Visitadoria Salesiana Maria Auxiliadora de Rito Greco-Católico.

De acordo com a Agência das Nações Unidas para os Refugiados, cerca de 17,6 milhões de pessoas na Ucrânia necessitam de assistência humanitária em 2023. Há quase 5,1 milhões de pessoas deslocadas internamente no país (números relativos ao mês de maio de 2023). Mais de 6,2 milhões de refugiados da Ucrânia foram registados a nível mundial (até julho de 2023).

Entre os barulhos de sirenes e bombas, depois de 20 meses de guerra, a vida quotidiana de milhões de pessoas decorre. A Procuradoria Missionária Salesiana Misiones Salesianas, com sede em Madrid, dá ajuda a crianças, financiando uma Escola e um Centro Juvenil, em Zhytomir e Lviv. Quase 300 crianças têm assim a oportunidade de continuar a frequentar a escola e, acima de tudo, podem contar com um espaço seguro para aprender, brincar e sentir-se protegidas.

A educação em situações de emergência é ainda mais central do que o habitual, e, para as crianças, é uma verdadeira ferramenta que salva vidas. Por este motivo é importante que as escolas salesianas na Ucrânia continuem abertas.

Além da educação, os salesianos continuam a trabalhar para oferecer ajuda humanitária a pessoas deslocadas, como é o caso do Projeto Mariapolis, instalado em Lviv, onde mais de 1.000 pessoas vivem e recebem tratamento, alimentação e acesso a cuidados de saúde.

Os missionários viajam constantemente para as cidades do leste, como Novohyhorivka, onde se empenham por responder às necessidades da população civil que permaneceu em suas casas. “Queremos levar a ajuda o mais perto possível da fronteira russa (onde a maioria das aldeias estão devastadas, as casas destruídas e as pessoas vivem em abrigos superlotados. Há muita necessidade. Mas graças à solidariedade que recebemos de todo o mundo, podemos ir a estas áreas e oferecer comida, água e outros bens”, explica o Pe. Jozef Nuckowski, um dos salesianos que ainda vai para estes lugares.

Leia também  Igreja: Afonso e Pedro Sousa, irmãos gémeos e antigos alunos salesianos, vão ser ordenados sacerdotes

A esta situação soma-se, mais uma vez, o problema do inverno e do frio. As Misiones Salesianas já destinaram 100.000 euros em bens que serão enviados para aliviar tais necessidades: cobertores, aquecimento, ar condicionado, agasalhos. As necessidades ainda são muitas e amplas, mas a solidariedade salesiana espera continuar até que a paz chegue à Ucrânia e a todos os países em que haja guerra.

Salesianos e população continuam a prestar apoio de emergência

Artigos Relacionados