Tunísia: Oratórios juntos em Manouba

Quarta-Feira, 29 de dezembro, em Manouba, cidade nos arredores da capital, Túnis. Na Casa Salesiana, nascida há quase 30 anos e que é hoje a Escola elementar e Oratório Centro Juvenil, fez-se o primeiro “Dia Conjunto de Oratórios de Túnis”. Crianças, jovens, animadores e responsáveis do novo oratório do centro de Túnis, nascido junto à escola Dom Bosco, partilharam um dia de desporto, jogos e atividades de grupo, com o oratório de Manouba, o “primogénito”, nascido em 2013, graças ao dedicado entusiasmo do Salesiano irmão, Roberto Lionelli, atualmente em serviço em Madagáscar.

O seu testemunho foi a seguir assumido pelos seus irmãos que trabalham em Manouba: Pe. Domingos Paternò, Pe. Bashir Soukar e Sebastien Anasambla Levilo, que continuaram o caminho iniciado, ampliando a oferta educativa e abrindo a atividade oratoriana também às meninas.

Os Salesianos Pe. Faustino García Peña, Pe. José Antonio Vega Díez e Ferdinand Nadjikan Ropou da nova presença do Centro de Túnis École Don Bosco, depois de analisar a situação, iniciaram no fim de novembro de 2021 o novo oratório do centro da cidade. Realizaram, desta forma e com alguns meses de atraso devido à pandemia, o que desejavam ter já feito no verão.

Mais recentemente, aproveitando as férias escolares de dezembro, salesianos e animadores quiseram passar momentos juntos com os jovens dos dois oratórios. Nesse encontro, agendado para o fim das duas semanas de férias, os dois oratórios de Manouba e Túnis fizeram vários dias de atividades e desporto, envolvendo muitos jovens.

Na quarta-feira, 29 de dezembro, cerca de 90 pessoas (entre jovens, animadores e salesianos)  encontraram-se em Manouba, das 9h30 às 16h, para atividades musicais, bricolage, torneios de futebol, futsal, voleibol e jogos de grupo, em clima de grande alegria, fraternidade e partilha.

Leia também  Encontro Regional Europeu de Delegados de Pastoral Juvenil

As boas-vindas do Diretor de Manouba, Pe. Paternò, abriu o dia, encerrado à noite com um pensamento em árabe pelo Pe. Soukar, junto com alguns cânticos preparados para a ocasião pelo nascente Coral, de Manouba.

“Tudo decorreu à luz da fraternidade, como deseja a carta de Francisco “Todos Irmãos” –comentou no fim o Pe. Paternò. Muçulmanos e cristãos juntos, unidos pelo bem dos adolescentes e jovens, visando construir juntos um futuro melhor para todos, também através de gestos como este, que dão importância à vida quotidiana como forma de semear um mundo melhor. Tudo, graças a Dom Bosco, que nunca levantou barreiras, mas sempre foi, com palavras de hoje, inclusivo e solidário”.

Artigos Relacionados