“O Tesouro dos Reis” na Gulbenkian

Terra Santa: Exposição “O Tesouro dos Reis” na Gulbenkian

São 100 peças para visitar no Museu Gulbenkian até ao final do mês de fevereiro, desde o século IV à atualidade, mostrando Jerusalém centro do mundo, local universal de encontro e de peregrinações desde o séc. XVI e XVII.

Dividida em quatro núcleos – Jerusalém, «Centro do Mundo»; De Constantino, «o Grande», a Solimão, «o Magnífico»; «Theatrum Mundi»: Doações Régias aos Lugares Santos; e Calouste Sarkis Gulbenkian e Jerusalém – a exposição apresenta 100 peças tuteladas pela Custódia da Terra Santa que representam quase mil anos de história de Jerusalém. Inclui um núcleo dedicado às ofertas de monarcas aos lugares santos. Por fim, está também presente na exposição a ligação da família Gulbenkian à Cidade Santa, que o empresário, filantropo e colecionador de arte de origem arménia visitou pela primeira vez aos oito anos de idade.

O conjunto “mostra o extraordinário e pouco conhecido tesouro artístico do Terra Sancta Museum”, incluindo a lâmpada de igreja oferecida pelo rei de Portugal D. João V a Jerusalém.

“De entre estes templos, a Basílica do Santo Sepulcro, em Jerusalém, assume o maior protagonismo. Na tradição cristã, este é o local da morte, sepultamento e ressurreição de Jesus de Nazaré. Considerando esta centralidade espiritual, o envio de ofertas para este e outros templos da Palestina representava, para estes príncipes, uma importante projeção da sua devoção e do seu poder”, pode ler-se na página da Gulbenkian.

“A exposição propõe ainda um percurso pela história milenar e pelo simbolismo espiritual da Basílica do Santo Sepulcro, bem como pelo papel desempenhado pela Custódia da Terra Santa – a instituição católica franciscana responsável por zelar pelos lugares cristãos na Terra Santa – na receção, utilização e preservação destes objetos de culto católico”.

Leia também  Mensagens dos nossos leitores

Presente na exposição “um manuscrito iluminado arménio do século XV” oferecido por Calouste Gulbenkian ao Patriarcado Arménio de Jerusalém. “Apresentado aqui pela primeira vez, este manuscrito foi doado na década de 1940, quando Gulbenkian já residia em Portugal”, acrescenta a informação disponível no site.

“O Tesouro dos Reis – obras-primas do Terra Sancta Museum” a exposição vai ter itinerâncias a Santiago de Compostela, Florença e Nova Iorque.

Fotografia: Pedro Pina/Fundação Calouste Gulbenkian

Publicado no Boletim Salesiano n.º 601 de janeiro/fevereiro de 2024

Torne-se assinante do Boletim Salesiano. Preencha o formulário neste site e receba gratuitamente o Boletim Salesiano em sua casa.

Faça o seu donativo. Siga as instruções disponíveis aqui.

Artigos Relacionados