Com Maria: 66.ª Peregrinação da Família Salesiana a Fátima

Nos dias 19 e 20 de maio de 2018 a Família Salesiana realizou a peregrinação anual ao Santuário de Fátima.

A história das Peregrinações da Família Salesiana ao Santuário de Fátima começa e continua com a grande devoção a Nossa Senhora vivida por toda a Família Salesiana, como a mais preciosa herança recebida do seu Santo Fundador, S. João Bosco. Esta devoção é a tradução na vida da certeza de que “Ela tudo fez e faz” na Obra salesiana, quer no tempo de D. Bosco, quer nos nossos tempos. Ela tudo fez e tudo continuará a fazer na Família Salesiana, por isso uma das manifestações de gratidão é ir visitá-l’A ao seu Santuário, a Fátima, para Lhe dizer “muito obrigado” por tanto amor que nos tem e implorar a graça da nossa fidelidade ao amor misericordioso do nosso Deus e ao seu amor materno.

Todos os anos, de há 66 anos a esta parte, a Família salesiana começa muito cedo a preparar a sua Peregrinação Nacional. Com muito carinho, vive atempadamente este acontecimento, não descansando numa rotina de muitos anos. É sempre uma novidade este encontro em Fátima e, para que a beleza do mesmo aumente ainda mais, o Movimento Juvenil Salesiano, integrado há alguns anos, empresta alegria, juventude, vida, arte e fé, brindando com espetáculos de rara beleza artística e de grande espiritualidade salesiana. O Auditório Paulo VI é sempre pequeno para acolher todos os que ali acorrem para ver o espetáculo “Arte e Fé”, como aconteceu este ano na 66.ª Peregrinação.

Foi emocionante ver o grande desfile do começo da 66.ª Peregrinação. Começado junto da Cruz Alta, toda a Família Salesiana com os jovens do MJS e escuteiros de Agrupamentos Salesianos, o desfile tornou-se quase interminável. Na Capelinha, foram dadas as boas-vindas a toda a Família pelo Delegado Nacional e pelo Pe. Provincial, Presidente da Peregrinação, que dirigiu uma pequena Celebração da Palavra em louvor de Nossa Senhora.

Leia também  Família Salesiana organiza Retiro Quaresmal no dia 21 de março

À noite, no grande mar de luzes da Procissão de Velas, ali estava toda a Família que, depois de rezar fervorosamente o Terço na Capelinha, acompanhou o andor de Nossa Senhora. Com as velas acesas, ia também acesa a fé e o amor do coração de cada um. E a oração continuou na Velada de Oração do MJS num dos Salões do Auditório Paulo VI.

No dia seguinte, Domingo de Pentecostes, o dia começou com uma reunião formativa dos membros da Família Salesiana, enquanto um pequeno grupo delegado, participava ativamente, no terço internacional rezado na Capelinha.

Pelas 11 horas celebrou-se a Eucaristia, presidida por D. José Cordeiro, Bispo de Bragança-Miranda. Foi o ponto alto da Peregrinação, pois tudo o que fazemos na devoção a Nossa Senhora vai, inevitavelmente, desaguar no mar infinito do Coração de seu Filho.

E veio o regresso com lenços brancos de adeus. É uma tradição que se respeita, mas tenho a certeza de que a despedida foi apenas daquele lugar sagrado, porque de Nossa Senhora nunca nos despedimos. Como poderíamos despedir-nos, quando A trazemos bem dentro do nosso coração e anelamos ter por Ela uma devoção semelhante à de D. Bosco?

Fotografia: João Ramalho

Artigos Relacionados