Centenário do Monumento a D. Bosco de Valdocco

Em maio de 1920, dia 23, é inaugurado o Monumento a Dom Bosco na praça em frente à Basílica de Maria Auxiliadora, em Turim. A estátua, do escultor Gaetano Cellini, mostra Dom Bosco a brincar com crianças, e o gesto de levantar uma delas, simbolizando a educação, elevação das crianças.

A ideia de construir um monumento dedicado a Dom Bosco foi apresentada em 1911, por um grupo de ex-alunos no Primeiro Congresso Internacional de Ex-Alunos. Foi criada uma comissão de arquitetos para a realização do projeto, que previa alguns anos de execução. O início da Primeira Guerra Mundial, porém, atrasou a execução e a obra só foi inaugurada em maio de 1920.

«A cerimónia realiza-se numa data auspiciosa, na vigília de Maria Auxiliadora, no dia de Pentecostes. […] Para Dom Bosco a apoteose do dia 23 maio é a mais alta demonstração civil. Turim, como outras cidades, já lhe haviam dedicado ruas, mas sem o aparato exterior […]. A apoteose de 23 de maio, desejada pelos Alunos, passados e presentes, pelos Cooperadores e pela própria cidade de Turim, é o reconhecimento oficial da sua caridade. Mas não é pelo triunfo que os nossos corações suspiram. De perto ou de longe, é certo que será agradável ver ao chegar à casa paterna o sorriso do pai: mas a todos, aos habitantes de Valdocco e aos das Casas Salesianas mais distantes, para aqueles que o conheceram e para aqueles que não viram e nunca verão os lugares banhados nas suas lágrimas e suor, será muito mais reconfortante contemplá-lo, sempre no alto, mas num altar, Mestre e Patrono celestial. […] O anúncio de que Dom Bosco, na obra de Gaetano Cellini, voltou a sorrir em Valdocco, no meio dos seus jovens».

Leia também  Publicada primeira carta do Reitor-Mor
Praça: Na inauguração do monumento a Dom Bosco, a praça encheu-se de congressistas e representantes
Tribuna de honra: A tribuna real, durante o discurso de um dos convidados de honra
Multidão:  Depois da inauguração a praça repleta de gente
Festa no oratório:  O grupo de órfãos de guerra de Pinerolo apresentou um número de ginástica no primeiro pátio do Oratório

A ANS, Agência de Notícias Salesiana, produziu um vídeo dedicado à simbologia do monumento e dos vários grupos escultóricos que o compõem. O Pe. Bruno Ferrero, sdb, usa a expressão “epopeia da Família Salesiana” por ser tão completo na representação do Fundador, da Fé, da Eucaristia, de Nossa Senhora, das Missões, da obra em prol das Famílias, do trabalho pelos Migrantes, e, por último, das Escolas, agrícolas e profissionais. “É o grande verdadeiro monumento aos Salesianos. A Escola como escola que faz crescer os jovens como protagonistas na sua vida profissional e na vida social, jovens necessitados que precisam de entrar na sociedade pela porta principal e que não podem depender da esmola para o pão, como Dizia Dom Bosco, mas ganhá-lo”.

Artigos Relacionados