Argentina: Deixar marcas em troca de sorrisos

A Associação de Pais (UPF, em espanhol) da escola “Dom Bosco”, de San Luis, organizou a campanha de solidariedade “Deixar marcas em troca de sorrisos”, que se estendeu ao longo dos meses de setembro e outubro, arrecadando cerca de 300 pares de calçados para pessoas necessitadas. Segundo os promotores da iniciativa, a colaboração e a participação de toda a comunidade permitiu a concretização dos objetivos, produzindo “uma imensa alegria”.

A entrega do calçado aos necessitados ocorreu no refeitório social “Dejando Huellas” (deixando marcas) e no refeitório da Fundação “Rincón de Luz” (canto de luz), ambos localizados na zona sul da cidade de San Luis.

“Eu e a minha mulher fazemos parte da UPF há cinco anos e inscrevemos-mos no ano em que o nosso filho entrou para a escola. Fomos convidados a participar e, ali, encontrei um lugar para trabalhar pelo bem desta comunidade salesiana, onde os nossos filhos recebem educação e apoio”, explica Diego Coronel, presidente da UPF e promotor da campanha. Durante uma visita às cantinas para os pobres da cidade, as colaboradoras confessaram que, embora as necessidades sejam muitas, os sapatos são o bem que faz mais falta. “Muitas crianças não têm sapatos; andam descalças.”

Os membros da UPF receberam uma lista de nomes com a numeração correspondente e deram início à campanha. A União trabalha há muitos anos na escola salesiana. É uma associação de voluntários que planeia e realiza ações específicas de forma independente, além de colaborar nos eventos organizados pela escola. Todos os anos, no mês de maio, por exemplo, a associação produz e distribui o tradicional “chocolate da Maria Auxiliadora” a mais de 700 alunos e pais.

Diego espera que estas experiências sirvam também para transmitir aos seus filhos “os valores que realmente importam, sobretudo a igualdade, a empatia com os outros, humildade, respeito, solidariedade, compromisso, trabalho, esforço, o valor da amizade e da gratidão, sempre… E, depois, que procurem o que os faz felizes”.

Leia também  Paróquia de Santo Condestável celebra padroeiro em união com as Forças Armadas e de Segurança

Há cinco anos, Diego e sua mulher juntaram-se à UPF movidos por uma necessidade: “Encontrar pessoas, crianças, famílias inteiras que tenham muitas necessidades. Ajudá-las o mais possível é algo que completa a minha alma e me enriquece espiritualmente. Na UPF encontrei o lugar certo para trabalhar e promover estas ações solidárias. Faço isto com a convicção de que este é o caminho e uma lição para os meus filhos”.

Artigos Relacionados