Paquistão: Presente e futuro de esperança e paz

Os Salesianos de Dom Bosco estão há 22 anos no Paquistão. As suas obras estão abertas a católicos e não católicos. Essencialmente dedicam-se à formação profissional dos jovens, homens e mulheres.

Os Salesianos estão presentes no Paquistão há 22 anos, em duas pequenas comunidades em Quetta e Lahore, cada uma animada por apenas dois salesianos. A missão é realizada em Lahore através de um instituto técnico, uma escola primária, um internato, oficinas e cursos de formação para raparigas, e um centro juvenil. Em Quetta os Salesianos têm uma escola e dois internatos, um para rapazes e outro para raparigas.

Desde 2018, o Pe. Gabriel de Jesús Cruz Trejo, mexicano, é o responsável da Delegação Provincial do Paquistão, que pertence à Província Sul das Filipinas. Os serviços educacionais dos Salesianos no país são dirigidos a crianças cristãs, católicas e de outras denominações cristãs, bem como a crianças muçulmanas, trazendo uma prática de paz e compreensão mútua para a vida quotidiana.

“O diálogo inter-religioso tem mais impacto quando as palavras se tornam atos de serviço, testemunho de vida, quando amamos e educamos com zelo. Os nossos irmãos muçulmanos apercebem-se disso e apreciam o nosso trabalho. E respeitam-nos”, explicou o salesiano.

A comunidade salesiana no Paquistão é ela própria internacional e, num país onde 96% da população é muçulmana, este é um ponto importante para refletir. O Pe. Gabriel sublinha mesmo: é “o verdadeiro – católico – sentido da nossa missão entre os jovens, para que a mensagem de respeito e inclusão chegue a todos”.

No que diz respeito ao trabalho com raparigas e mulheres jovens, é dada especial atenção às ações destinadas a reduzir o abandono escolar, para cuidar da família e devido à prática comum dos casamentos precoces e forçados, não só nas comunidades étnicas das aldeias, mas também nos centros urbanos, na convicção de que são uma solução para a pobreza económica, em detrimento da proteção dos direitos humanos das raparigas e mulheres jovens.

Leia também  Idanha-a-Nova: 21 mil escuteiros de todo o país no ACANAC

Para cerca de 50 raparigas por ano, católicas, cristãs e muçulmanas, os Salesianos dirigem programas de promoção social e de formação sobre direitos, com o objetivo de criar e difundir a consciência e a autodeterminação entre todos os jovens, e cursos orientados para a aprendizagem de um ofício que visa a emancipação da tirania económica exercida por homens adultos.

As escolas no Paquistão são muitas, mas de baixa qualidade. Acima de tudo, existem muito poucas escolas que ofereçam formação profissional orientada para o mercado de trabalho. No Paquistão, a comunidade salesiana trabalha especialmente nesta última área. Em particular, em Lahore, Punjab, na fronteira com a Índia, uma das maiores metrópoles do mundo, há necessidades urgentes.

Juntamente com a Fondazione Don Bosco nel Mondo, os Salesianos estão a promover o projeto “Uma profissão para o meu futuro” no Centro Técnico e Juvenil Don Bosco em Lahore. O Centro é frequentado por 150 jovens vulneráveis. Junto ao centro existe um internato para os alunos deslocados e para os mais necessitados, assim como bolsas de estudo. O projeto “Uma profissão para o meu futuro” pretende assegurar a continuação de cursos de formação profissional, tanto de três anos (para eletricistas, soldadores, técnicos de refrigeração de salas, canalizadores, ferreiros, carpinteiros e informáticos), como cursos de curta duração para barbeiros, esteticistas e costureiras.

Nas palavras do Padre Gabriel, “o futuro de Dom Bosco no Paquistão é promissor”. Os jovens, homens e mulheres, “desejam construir um presente e um futuro de esperança e paz”.

Originalmente publicado no Boletim Salesiano italiano.

Publicado no Boletim Salesiano n.º 590 de Janeiro/Fevereiro de 2022

Torne-se assinante do Boletim Salesiano. Preencha o formulário neste site e receba gratuitamente o Boletim Salesiano em sua casa.

Faça o seu donativo. Siga as instruções disponíveis aqui.

Artigos Relacionados