fbpx

B. Artémides Zatti

B. Artémides Zatti

Beato

Celebra-se, no dia 13 de novembro, a festa litúrgica de Artémides Zatti, coadjutor e enfermeiro salesiano, de origem italiana, que se dedicou ao cuidado dos doentes pobres na Argentina.

Biografia

Artémides Zatti nasceu no dia 12 de outubro de 1880 em Boretto, província de Reggio Emilia, em Itália. A sua família era pobre e os seus pais trabalhavam como arrendatários para outras famílias, porém, pressionados pela pobreza, decidiram emigrar para a Argentina. Chegaram a Bahía Blanca, no dia 13 de fevereiro de 1897, e foi nesta cidade que Artemides Zatti conheceu os Salesianos. Zatti passava a maior parte do seu tempo livre na paróquia, que estava à responsabilidade dos Salesianos. Visitava os doentes, acompanhava funerais e ajudava nas missas como sacristão. Com toda essa vivência sentiu a vontade e o chamamento de se tornar salesiano. Tinha 20 anos quando ingressou no aspirantado de Berbal, tendo sido aceite como aspirante por Dom João Cagliero. Queria ser sacerdote.

Ao cuidar de doentes tuberculosos, contraiu também a doença. Pediu a Maria Auxiliadora a graça da cura, com a promessa de dedicar toda a vida ao cuidado dos doentes. Após uma consulta médica os superiores decidiram mandá-lo para Viedma. Era ainda aspirante. Com a saúde reestabelecida Zatti começou a trabalhar na farmácia anexa ao Hospital Missionário de São José, que era dirigido pelo padre Evágio Garrone. Naquela época, não era possível aos salesianos professarem caso tivessem alguma doença, assim, os superiores sugeriram que ele professasse como salesiano coadjutor. Após refletir sobre sua vida, Zatti compreendeu a vontade de Deus.

Percebeu que com a vocação de salesiano coadjutor poderia cumprir mais diretamente a promessa que tinha feito a Nossa Senhora. Provavelmente, como sacerdote não poderia doar-se de modo integral aos doentes, devido aos compromissos sacerdotais. Assim, em janeiro de 1908, fez os votos religiosos como salesiano coadjutor.

Zatti faleceu no dia 15 de março de 1951.

Foi um trabalhador incansável. No hospital foi administrador, cozinheiro, varredor e enfermeiro, sem nunca deixar de cumprir, com rigor, a vida religiosa comunitária. Quando os doentes não podiam deslocar-se ao hospital, Zatti ia ao seu encontro, numa bicicleta.

Todas as manhãs, durante a sua visita aos pacientes no hospital, cumprimentava-os com boa disposição: “Bom dia. Viva Jesus, José e Maria. Todos respiram?” O humor e a atenção próxima a cada doente, dizia o salesiano, eram também os seus remédios.

O salesiano coadjutor foi realmente um bom samaritano. A sua compaixão e a sua presença alegre curavam, o seu testemunho de fé e esperança, o seu zelo apostólico aos doentes, e o seu amor a Jesus levaram este servo de Deus à sua beatificação.

A sua vida é recordada no filme “Zatti, nosso irmão”, que foi apresentado no 8.º Congresso Internacional de Maria Auxiliadora, em Buenos Aires, em 2019, e teve a antestreia durante o Capítulo Geral 28, em 2020.

Datas

  • Nasceu a 12 de outubro de 1880
  • Faleceu a 15 de março de 1951
  • Venerável a 7 de julho de 1997
  • Beatificado a 14 de abril de 2002 por S. João Paulo II
  • A sua memória é celebrada a 13 de novembro