“Salesiana-mente”, artesãos da paz e fraternidade na educação formal

Marco Silva, Diretor Pedagógico dos Salesianos do Porto | out 07, 2019
Representantes das comunidades educativas da Europa e Médio Oriente participaram na 5.ª Reunião da Comissão Escola Salesiana SDB-FMA.
Nos dias 2 e 3 de outubro, decorreu, em Roma, na Casa Geral das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), a 5.ª Reunião da Comissão Escola Salesiana Europa dos Salesianos e das FMA, organizada em conjunto pelo Dicastério e Âmbito da Pastoral Juvenil, com a presença das comunidades educativas da Europa e Médio Oriente, representadas pelos respetivos delegados e coordenadores provinciais da Escola/Formação Profissional, num total de 30 participantes.

Considerando que a Comissão representa o grande compromisso salesiano com a educação formal, os objetivos da 5.ª reunião incidiram:

  1. na discussão das mudanças transcendentais que se estão a produzir no continente europeu e que as comunidades escolares estão a experimentar;
  2. no trabalho conjunto para atualizar a Carta de Identidade da Escola Salesiana Europa, para se caminhar juntos, tendo em conta a grande diversidade dos países e das nossas presenças, e construir uma cultura cada vez mais inspirada pelo Evangelho, orientada pelo magistério do Papa Francisco e atenta ao contexto sociocultural de hoje;
  3. no início do processo de investigação e estudo científico do Educo-barómetro, um questionário para o acompanhamento eficaz dos responsáveis diretivos da ESE com o objetivo de melhorar a presença, a qualidade educativa e a missão evangelizadora da escola salesiana e dos centros profissionais (FP) no continente.

Os pontos 1 e 2 constituíram o foco do primeiro dia de trabalho dos quatro grupos, entretanto, organizados, de acordo com critérios geográficos e linguísticos.

As diversas tendências, movimentos e situações desafiam-nos a dar uma resposta educativa-pastoral que implique o conhecimento, a compreensão e a intervenção em contextos complexos e nem sempre favoráveis. Partindo deste “mosaico educativo”, assente num chão de diversidade, a escola e a formação profissional salesianas têm de responder à “emergência educativa”, já mencionada por Bento XVI, em relação à situação atual da escola, em particular à escola católica, pois a nossa proposta possui um conjunto de valores e práticas “à prova de tração”.

Leia também  Assembleia Nacional MJS debate papel dos jovens do MJS na sociedade

Partindo desta convicção, e inspirados pelo documento “Pacto Educativo”, recentemente elaborado pelo Papa Francisco, os grupos de trabalho debruçaram-se sobre a 1.ª edição da Carta de Identidade da Escola Salesiana, com o propósito de a revisitar, lê-la  em profundidade, atualizá-la e refazê-la, em sintonia com esse “mosaico educativo de diversidade”, constituindo-se uma ferramenta formativa para se refletir e trabalhar juntos.

No segundo dia de trabalhos, na parte da manhã, os grupos deram continuidade à reflexão sobre a Carta de Identidade e apresentaram contributos vários, quer ao nível da estrutura quer do conteúdo, seguindo-se um espaço para o diálogo e debate enriquecedores. Os participantes sugeriram que a redação da Carta propusesse uma visão que implicasse, de imediato, uma ação, e que se definisse a priori quais as pretensões do documento, se um documento divulgativo ou descritivo. O Dicastério da Pastoral Juvenil admitiu a eventual elaboração de duas versões do documento, para atingir esses propósitos.

No final dos trabalhos, um comité de redação há de preparar uma síntese deste documento para apresentar aos Conselheiros da Pastoral Juvenil, que, por sua vez, apresentarão a 2.ª edição aos Conselheiros Gerais, no dia 8 de dezembro de 2019, para ser traduzida em diferentes línguas e apresentada às comunidades educativas das províncias da Europa e Médio Oriente.

Na parte da tarde, os Dicastério e Âmbito da Pastoral Juvenil apresentaram aos presentes o Educo-barómetro. Trata-se de um questionário aplicado, entretanto, nas várias províncias da América do Sul, com o objetivo de se conhecer a perceção das equipas diretivas das escolas e centros de formação profissional salesianos e de se planificar o futuro, e cujos resultados se mostraram consistentes e consequentes.

Os responsáveis dos Dicastério e Âmbito pretendem aplicar o mesmo questionário às escolas salesianas da Europa, a partir do próximo mês de novembro, e encontram-se atualmente a trabalhar, com o consórcio responsável pelo estudo, em aspetos relacionados com a adaptação e tradução das questões e a plataforma eletrónica onde estará alojado o questionário.

Leia também  Centro Universitário Salesiano Santo Condestável voltou a abrir portas

Alea jacta est para o caminho da ESSE-Escola/FP Europa SDB-FMA!

Artigos Relacionados