Publicada primeira carta do Reitor-Mor

“Pertencer mais a Deus, mais aos irmãos, mais aos jovens” é o título da primeira carta do reitor-mor, padre Ángel Fernández Artime, que será publicada nos Atos do Conselho Geral 419.

O texto traz o mesmo título do encerramento feito pelo reitor-mor para o Capítulo Geral 27 (CG 27), uma vez que é nele que se inspira.

Analisando os momentos que mais caracterizaram a história da Congregação, e antes de investigar o a atualidade, o padre Ángel partilha a maneira como vive o trabalho para o qual foi chamado: “Do ponto de vista da Fé, abandono-me ao Senhor. Porque sei que não estou sozinho (…) e vivo trazendo os jovens no coração”. O reitor-mor reforçou que as prioridades de ação são as mesmas identificadas no CG27 e falou, em seguida, sobre as atitudes adequadas para ser fiel à própria identidade carismática: “Creio realmente, irmãos, que a vida espiritual deve vir em primeiro lugar, uma vida espiritual que é antes de tudo busca de Deus no cotidiano, no meio das coisas que fazemos, em nossas ocupações”.

Referindo-se à vida comunitária, o Reitor-Mor reitera a importância do esforço para alcançar “a ‘utopia’ da fraternidade segundo o Evangelho”, que só é possível quando há sentimentos de amor verdadeiro entre as pessoas: “O coração pede e exige. A vida comunitária do futuro ou será fraterna ou não o será realmente. Este é um dos ingredientes mais buscados pelos candidatos de hoje e nem sempre é o que encontram em grande medida”.

Um enfoque especial é dado à opção para os jovens, especialmente os mais necessitados, “nossos patrões”, como prefere chamá-los o padre Ángel, inspirando-se em uma famosa frase de Dom Bosco. Assim, a opção para eles “deve ser de modo imperativo, o maior esforço e o traço distintivo da Congregação neste sexênio”; e o natural e consequente chamado para a pobreza não é uma “sugestão para os salesianos mais sensíveis ou um pouco mais generosos, mas a realização de um autêntico êxodo em nossas vidas. Deve ser algo essencial para o nosso ser Salesianos de Dom Bosco”. Observando que “a dimensão missionária faz parte da nossa Identidade “, o reitor-mor também indicou as várias áreas geográficas dignas de atenção, por parte da Congregação, nos próximos anos. E, antes de concluir, convidou a todos os irmãos para celebrar o Bicentenário na sociedade, na cidade, com o povo de Deus, mas também na interioridade da Congregação e da Família Salesiana, reavivando o Dom recebido.

Leia também  Sudão do Sul: missão salesiana acode a centenas de crianças e adolescentes subalimentados

O texto integral está disponível no site sdb.org.

Artigos Relacionados