Sala do Sol

Salesianos de Lisboa: Sala do Sol, projeto inovador que veio para ficar

A Sala do Sol foi criada em 2013 como projeto alternativo de ensino. Os alunos estagiam em pequenos grupos de doze alunos. São aulas dinâmicas, baseadas em projetos, que fomentam o estudo e a pesquisa autónomos e a cooperação.

“Sala do Sol”, porque se trata de um espaço que se quer “iluminado” e inspirador. Um espaço onde as crianças se sintam acolhidas. Um espaço onde, verdadeiramente, possamos falar de ensino diferenciado e individualizado.

“A turma é, paradoxalmente, um progresso e um obstáculo: é, (diríamos, foi) um progresso quando permitiu assegurar a passagem do ensino individual para o ensino coletivo; é um obstáculo quando a sua rigidez e imutabilidade condena a escolarização ao mito do aluno ‘médio’ deixando de fora quem não se enquadra nesse padrão” (ALVES, 2016).

Nesta linha, as “Salas do Sol” são espaços de trabalho cuidadosamente preparados, com o objetivo de acolher temporariamente um número reduzido de alunos que poderão ou não ser de níveis de conhecimento aproximados, tendo em vista um maior aproveitamento do potencial de cada um deles e, consequentemente, alcançarem melhores resultados escolares.

As crianças deixam as turmas de origem e aprendem nestes ambientes com outros colegas e com outros professores. Existe aqui uma intencionalidade clara da criação de novos contextos para que cada um se possa revelar, se possa sentir liberto de eventuais rótulos que o tempo ou as pessoas vão construindo, consciente ou inconscientemente. Algumas revelações, como facilmente se imagina, trazem com elas imensas interrogações e interpelações aos professores.

Desde 2019, o método de trabalho adotado pela “Sala do Sol” passou a ser a Aprendizagem Baseada em Projeto. Esta abordagem veio dar ainda mais destaque a esta iniciativa, com evidências claras nos níveis de motivação, empenho e resultados escolares. Através desta metodologia, os alunos têm a oportunidade de realizar diversos projetos sobre diferentes temas, o que contribui para uma aprendizagem mais significativa, autêntica e verdadeiramente ligada à vida e às suas vidas.

Leia também  Pe. Giordano Piccinotti:“O Senhor mostrou-me de forma concreta o que significa receber o cêntuplo”

Um dos aspetos que faz deste projeto algo único é o facto de receber um número reduzido de alunos em cada espaço. Estes espaços, ou ambientes de aprendizagem, não são destinados a alunos com dificuldades. Ou, dito de outra forma, são destinados a alunos com dificuldades, porque não há nenhum aluno que não tenha dificuldades. Os alunos são diferentes e as suas dificuldades também. Trata-se de uma verdadeira demonstração de trabalho de equipa, exigindo determinação, rigor e muito empenho, tanto por parte dos alunos como dos professores e pais. Através desta colaboração e compromisso conjunto, promove-se um ambiente educativo enriquecedor, que se reflete não só nos resultados escolares dos alunos, mas também na sua motivação, envolvimento nas atividades e no relacionamento com novos colegas e educadores.

Fotografia: João Ramalho

Publicado no Boletim Salesiano n.º 603 de maio/junho de 2024

Torne-se assinante do Boletim Salesiano. Preencha o formulário neste site e receba gratuitamente o Boletim Salesiano em sua casa.

Faça o seu donativo. Siga as instruções disponíveis aqui.

Artigos Relacionados