fbpx

Luigi Olivares

Luigi Olivares

Venerável

Luigi Olivares nasceu em Cornetta, na província de Milão, no dia 18 de Outubro de 1873, quarto de quinze filhos. Um irmão seu virá a ser missionário e uma irmã canossiana.

Biografia

Entra no seminário em Monza e depois em Milão. Desde seminarista conhece os salesianos graças ao seu director espiritual, grande benfeitor dos filhos de Dom Bosco. Ficou encantado ao ler a vida de Dom Bosco, especialmente pelo seu sistema educativo, que já conhecia através da mãe. Tendo concluído os estudos, foi ordenado sacerdote em Milão em 1896. Pediu imediatamente para ser salesiano, mas o seu bispo, o cardeal Ferrari, enviou-o, jovem padre de 22 anos, como vice-director do colégio diocesano de Saranno. Aplicando o sistema preventivo, Luís transformou o seminário numa família. Passados oito anos, obteve a licença de ir para os salesianos. Após a profissão, foi enviado a estudar e a ensinar teologia moral e sociologia no estudantado de Foglizzo. Em 1910 foi nomeado director e pároco para Roma na difícil paróquia de Santa Maria Liberatrice no Testacelo. O bairro de má fama ficou mudado a olhos vistos, graças à bondade do seu novo pároco: disse que pregaria nem que fosse somente para uma velhinha. Um dia, indo pela rua, apanhou um bofetão de um fulano exaltado. A sua reacção foi: «Obrigado». E apresentou-lhe a outra face. Como bom filho de Dom Bosco está sempre no meio das pessoas e dos jovens. O seu confessionário está sempre cheio de pessoas de manhã até à noite. Em 1916 é nomeado bispo de Sutri e Nepi pelo papa Benedetto XV. Impõe-se a si mesmo um regulamento em cinco pontos: «Amarei a minha diocese como uma esposa. Na oração tratarei com Jesus os interesses das almas e não tomarei nenhuma decisão importante sem O ter consultado primeiro. Evitarei o luxo e o supérfluo. Traçarei um horário e cumpri-lo-ei à risca. Lema para a minha vida episcopal: a caridade disposta a qualquer sacrifício». D. Luís é um bispo ao estilo de Dom Bosco: «Sou, por graça de Deus: cristão, salesiano, sacerdote, e bispo: devo fazer-me santo». Visitava os presos e dava catequese aos jovens trabalhadores. A caridade pastoral, a atenção e a esmola às famílias pobres, o amor para com os últimos e a preferência pelos jovens mais necessitados foram as prioridades dos seus 26 anos de episcopado. Morreu fora da sua diocese no dia 19 de Maio de 1943, enquanto estava a pregar um retiro a estudantes de liceu da casa salesiana de Pordenone. Tinha quase setenta anos. Está sepultado em Nepi na Catedral.

Datas

  • INÍCIO DO PROCESSO ORDINÁRIO A 24 DE MAIO DE 1963
  • VENERÁVEL A 20 DE DEZEMBRO DE 2004