fbpx

B. Giuseppe Calasanz e 31 companheiros

B. Giuseppe Calasanz e 31 companheiros

Beatos

Entre 1936 e 1939 a Espanha esteve envolta numa dramática e sangrenta guerra civil: um conflito carregado de lutas antagónicas ideológicas. Houve também danos para a Igreja espanhola, que sofreu, especialmente por forças anarquistas e milícias, uma perseguição violenta. Foram massacrados milhares de sacerdotes, religiosos e leigos, só porque eram cristãos.

Biografia

Entre estes numerosos membros da família salesiana: 39 sacerdotes, 22 clérigos, 24 coadjutores, 2 filhas de Maria Auxiliadora, 4 salesianos cooperadores, 3 aspirantes salesianos e 1 colaborador leigo; 95 no total. Foram iniciadas três causas distintas de martírio, que depois resultaram em duas: para o grupo de Valencia – 32 mártires – liderado por Dom Giuseppe Calasanz, e para os dois grupos de Sevilha e Madrid – 63 mártires – liderado por Dom Enrico Saiz Aparicio. O primeiro grupo foi beatificado em Março de 2011 juntamente com outros mártires da diocese de Valência, os outros dois grupos foram beatificados a 28 de Outubro de 2007. Dom Giuseppe Calasanz Marqués (1872-1936) nasce em Azanuy. Em 1886 vê em Sarrià Dom Bosco cansado e já em sofrimento. Torna-se salesiano em 1890, sacerdote cinco anos depois. Foi secretário de Dom Rinaldi e em seguida superior da Inspectoria do Perú-Bolivia. Regressado a Espanha, foi nomeado Superior da Inspectoria Terraconense (Barcelona – Valência). Homem de coração e grande trabalhador, preocupou-se até ao fim pela salvação dos seus irmãos. Foi capturado juntamente com outros salesianos enquanto presidia em Valência aos Exercícios Espirituais. Foi morto enquanto viajava com um tiro de pistola na cabeça.

15 sacerdotes: Francesco Bandrés Sànchez, Giuseppe Batalla Par-ramón, Giacomo Bonet Nadal, Giuseppe Bonet Nadal, Giuseppe Ca-selles Moncho, Giuseppe Castell Camps, Sergio Cid Pazo, Riccardo de los Rios Fabregat, Giuseppe Giménez Lopez, Giulio Junyer Padern, Antonio Martin Hernàndez, Giovanni Martorell Soria, Giu¬seppe Otin Aquilué, Giuliano Rodriguez Sànchez, Alvaro Sanjuàn Canet; 7 coadjutores: Giacomo Buch Canals, Agostino Garcia Calvo, Eliseo Garcia Garcia, Giacomo Ortiz Alzueta, Giuseppe Rabasa Ben-tanachs, Angelo Ramos Velàzquez, Egidio Rodicio Rodicio; 6 clérigos: Zaccaria Abadia Buesa, Francesco Saverio Bordas Piferrer, Mi¬chele Domingo Cendra, Filippo Hernàndez Martinez, Pietro Mesonero Rodriguez, Felice Vivet Trabal; 1 colaborador leigo: Alessan¬dro Planas Sauri; 2 filhas de Maria Auxiliadora: Maria Carmen Mo¬reno Benitez, vicaria ispettoriale: fu direttrice e confidente della bea¬ta Eusebia Palomino, che le profetizzò il martirio, Maria Amparo Carbonell Munoz.

Datas

  • O «DECRETO DE MARTÍRIO» FOI PUBLICADO A 20 DE DEZEMBRO DE 1999
  • BEATIFICADOS A 11 DE MARÇO DE 2001 POR JOÃO PAULO II