Hoje comemora-se a Memória do Beato Pe. Miguel Rua, primeiro sucessor de S. João Bosco

O Pe. Miguel Rua (1837-1910) foi beatificado em 29 de outubro de 1972, há 46 anos.

Miguel Rua nasceu em Turim no dia 9 de junho de 1837. Último de 9 filhos, perdeu o pai aos oito anos. Estudou nos Irmãos das Escolas Cristãs até à terceira classe elementar. Deveria começar a trabalhar na Real Fábrica de Armas de Turim, onde o pai era operário, mas Dom Bosco – que aos domingos ia confessar na escola – propôs-lhe continuar os estudos com ele, garantindo-lhe que a Providência pensaria nas despesas.

“Nós dois faremos tudo a meias”

Certo dia, Dom Bosco distribuía algumas medalhas aos seus rapazes. Miguel era o último da fila e chegou atrasado, mas ouviu Dom Bosco dizer: “Toma, Miguelzinho!”. O padre, porém, não estava a dar-lhe nada, mas acrescentou: “Nós dois faremos tudo a meias”, e assim foi de facto.

Colaborador da Companhia da Imaculada com Domingos Sávio, foi aluno modelo, apóstolo entre os colegas. Dom Bosco disse-lhe: “Preciso de ajuda. Farei com que recebas a veste clerical; estás de acordo?”. “De acordo!”, respondeu.

Em 25 de março de 1855, nos aposentos de Dom Bosco, nas mãos do fundador, fez os votos de pobreza, castidade e obediência.

Primeira visita do Pe. Miguel Rua a Portugal (4 a 17 de março de 1899). Da esquerda para a direita: Pe. Luís Sutera (diretor do Colégio de S. Caetano), Pe. Filipe Rinaldi (Provincial de Espanha e Portugal), Pe. Miguel Rua, Pe. Giovanni Marenco e o Pe. Sebastião de Vasconcelos (fundador da Oficina de S. José do Porto inspirado na obra de S. João Bosco e que veio a ser dirigida pelos Salesianos em 1909-1910 e de 1922 a 1951)

O primeiro Salesiano

Leia também  Oratório de Valdocco

Era o primeiro Salesiano. Começa a trabalhar intensamente: leciona matemática e dá catequese; assiste no refeitório, no pátio, na capela; à noite copia, numa bela caligrafia, as cartas e as publicações de Dom Bosco; e, mais importante, estuda para ser padre. Tinha apenas 17 anos.

É-lhe entregue também a direção do oratório festivo São Luís.

Em novembro de 1856, morre Mãe Margarida. Miguel, então, vai ter com sua mãe e diz-lhe: “Mãe, a senhora quer vir connosco?”. A senhora Joana Maria Ferrero aceita, e também nisso a família Rua fez tudo a meias com a família Bosco.

Joana Maria Ferrero, Mãe do Pe. Miguel Rua, viveu, tal como Mãe Margarida, vários anos junto ao filho Pe. Rua ajudando na Obra Salesiana, em Mirabello e no Oratório de Valdocco

Em 1859, Rua acompanha Dom Bosco na audiência com o Papa Pio IX para a aprovação das Regras e, no regresso, é-lhe confiada a direção do primeiro oratório em Valdocco. Foi ordenado sacerdote em 29 de julho de 1860.

Dom Bosco escreve-lhe um bilhete: “Verás melhor do que eu a Obra Salesiana atravessar os fronteiras da Itália e estabelecer-se no mundo”.

O Padre Rua abre a primeira casa salesiana fora de Turim, em Mirabello.

Poucos anos depois, regressa a Valdocco, substituindo e ajudando Dom Bosco em tudo.

Primeiro sucessor de Dom Bosco

Em novembro de 1884, o Papa Leão XIII nomeia o Padre Rua vigário e sucessor de Dom Bosco, que morrerá em seus braços quatro anos depois.

O Padre Rua, considerado então a regra viva, torna-se paterno e amável como Dom Bosco. Enfrenta e supera inúmeras dificuldades no governo da Congregação. Consolida as missões e o espírito salesiano.

Morreu no dia 6 de abril de 1910, aos 73 anos. Com ele, a Sociedade passou de 773 a 4000 Salesianos, de 57 a 345 Casas, de 6 a 34 Províncias em 33 países. Paulo VI beatificou-o em 1972, dizendo: “Ele fez da fonte um rio”.

Leia também  Meetup Digital Salesiano de Comunicação: D. Bosco, contador de histórias
Pe. Renato Ziggiotti, V Sucessor de Dom Bosco, Pe. Luigi Ricceri, Reitor-Mor, e o Papa Paulo VI na beatificação do Padre Miguel Rua em 1972
A Praça de São Pedro na beatificação

Artigos Relacionados