Haiti, “Lakay Don Bosco”: uma segunda oportunidade para os meninos de rua

O problema dos meninos de rua, crianças e jovens, não é novo no Haiti. Em 1988 foi inaugurada uma obra salesiana que lhes foi especialmente dedicada, com um programa estruturado que procurava resgatar humana e socialmente os menores mais marginalizados. Hoje o projeto tem o nome de “Lakay Don Bosco” e prevê uma caminhada de resgate dividida em três etapas.

O primeiro passo é “La Rue” (a rua) e consiste na aproximação e criação de uma relação de confiança entre o salesiano ou o assistente social e o menor.

A segunda etapa é “Lakou” (em crioulo, pátio) e consiste em receber a criança num espaço de acolhimento e, eventualmente, a sua inserção num percurso escolar ou profissionalizante.

A terceira etapa, chamada “Maison” (casa), consiste em cuidar do menor, por dois ou três anos, na casa/lar-família “Foyer Lakay”. Durante este período, a comunidade trabalha para a sua reinserção sociofamiliar, encaminhando-o para um colégio interno profissionalizante, frequentado também por jovens que não residem na estrutura e que oferece cursos de engenharia elétrica, corte e costura, refrigeração, estética e carpintaria.

A idade e o nível de instrução dos beneficiários diferem da escolaridade normal das outras crianças, dado que muitas vezes decorreram vários anos desde a última vez que frequentaram uma escola. Torna-se muitas vezes necessário, por isso, passar por um processo de recuperação escolar que lhes forneça as ferramentas culturais necessárias para poderem, depois, seguir a formação profissional.

Na Escola Salesiana “Padre Artur Volèl” foi ativado um programa específico, aprovado pelo Ministério da Educação, para a recuperação dos anos escolares, com a duração de quatro anos, em vez de seis. Os beneficiários do programa são 54 jovens e adolescentes a partir dos 14 anos de idade, meninos e meninas, que fazem parte do projeto “Lakay”, mas também outros jovens provenientes de bairros vizinhos que nunca tiveram acesso à educação ou que a abandonaram prematuramente.

Leia também  Eslováquia, Bratislava: Beatificado Pe. Tito Zeman, Salesiano mártir

Graças ao apoio psicológico, é possível observar muitas mudanças ao nível relacional, moral e intelectual dessas crianças e jovens, ocorridas em clima de solidariedade, onde a concretização de um objetivo pessoal passa a ser uma vitória de todos e um incentivo para fazer o melhor.

Os professores têm desempenhado um papel fundamental, com investimento pessoal considerável​​, como permanecer na escola por longos períodos, durante a pandemia, sem poderem ir ao encontro das suas famílias. A atenção e o apoio individual que oferecem aos alunos – com programas de recuperação personalizados, desenvolvidos principalmente para as crianças com maiores dificuldades nas disciplinas básicas – têm produzido resultados inesperados.

Hoje, a grande maioria dos alunos está motivada, frequenta a escola com entusiasmo e compreende a importância do caminho que percorreu. São jovens conscientes de que receberam uma segunda oportunidade para melhorar as suas vidas e não querem desperdiçá-la.

Mais informações: www.missionidonbosco.org 

Artigos Relacionados