GOSTO DOS LUGARES…

Rui Santiago, cssr (texto), Miguel Cardoso (fotografia) | fev 20, 2017
ORA VÊ: 52 CONVITES DE ORAÇÃO EM FORMA DE LIVRO, TEXTO E FOTOGRAFIA. www.facebook.com/oraveonline

Gosto dos lugares onde se podem ouvir os próprios passos. É um dos critérios do Silêncio, segundo uns quantos mestres e místicos de várias tradições. Se calhar, por andarmos sempre por onde não podemos ouvir os próprios passos é que nos atropelamos tanto uns aos outros e espezinhamos tantas coisas. Se calhar. Não sei se é só isso. Mas sei, isso sim, que não há Amor sem Silêncio, não há Amizade verdadeira sem rumor, confidência, segredo. As coisas mais bonitas da vida são ditas a sussurrar. E é assim que me entendo nestes mundos da oração e da partilha dos dias contigo, como quem põe o coração à conversa, por um trilho interior qualquer em que é possível contar os próprios passos.

Jesus falou-nos de Ti como um Pai cheio de ternura e de bondade, com entranhas e carinho de Mãe. Descomplicou-nos a oração toda quando nos disse para conversarmos contigo como um filho bem amado se abre com um Pai muito querido. Garantiu-nos que és Alguém presente e próximo, simples e humilde. Por isso não é preciso comprar a tua vinda nem “merecer” a tua presença, porque Tu estás connosco, as nossas alegrias e as nossas angústias são-Te familiares.

Pai de Jesus e Pai Nosso, Deus de toda a Bondade, os lugares onde posso ouvir os meus próprios passos amansam os ímpetos de agressividade que ainda nascem de mim e dominam as minhas pressas. Aí, onde posso ouvir claramente o compasso do meu passo, o coração amplia-se na tua grandeza e a mente descansa ao colo da tua paciência.

Leia também  Assembleia Nacional MJS debate papel dos jovens do MJS na sociedade

Às voltas no claustro antigo, com as suas entradas de luz que são como beijos à procura do meu corpo, ou aquela caminhada na serra, com a luz em cheio a parecer que esventra a terra, seja lá onde for, desde que consiga, pelo menos, ouvir os meus próprios passos. Não me entendo sem esta música de fundo, renovada assiduamente. E a verdade é que gosto de viver a dois contigo e, por isso, faz-me falta andar por onde seja mais fácil ouvir o rumor segredado da tua Palavra.

Artigos Relacionados