ABBA, DEUS DA VIDA E DA ABUNDÂNCIA

Rui Santiago, cssr (texto), Miguel Cardoso (fotografia) | jan 13, 2017
ORA VÊ: 52 CONVITES DE ORAÇÃO EM FORMA DE LIVRO, TEXTO E FOTOGRAFIA. www.facebook.com/oraveonline

ABBA, Deus da Vida e da Abundância, falamos do caracol que anda com a casa às costas, mas nós é que carregamos o mundo aos ombros. Metemo-nos em pressas e tornamo-nos presa do ritmo que criamos. Se desacelerássemos um bocadinho… Se nos distendêssemos mais um pouco, deixaríamos de nos espalhar tanto ao comprido! Porque a maior parte dos nossos acidentes são por excesso de velocidade. Custa-nos tanto o silêncio e o sossego, num mundo em que a tirania da produtividade e o ídolo da autorrealização se tornaram as armas mais eficazes do deus dinheiro… Oh Deus, Pai de Jesus e Pai Nosso, não desistas de nós (sei que não, Pai com entranhas de Mãe, sei que não, mas sabe-me tão bem “pedir-te” que sejas assim mesmo como és!). O teu Jesus disse-nos que O seguíssemos e aprendêssemos d’Ele a ter um coração manso e humilde. Prometeu-nos que, se formos atrás d’Ele, somos curados da fadiga de corrermos sem sentido e da opressão de obedecermos sem amarmos. O teu Jesus disse-nos estas coisas, e Ele não nos engana nem cria falsas esperanças. Nós é que somos curtos na confiança, custa-nos levar a sério estas coisas! Ensinaram-nos que “não há almoços grátis” e depois, na hora em que Ele nos põe a Mesa do Pão partido e multiplicado nas suas mãos, a gente desconfia que a Graça seja de graça… Se acalmássemos um bocadinho… Ganhava altura o nosso olhar, víamos a vida a partir do andar de cima, aquele em que Jesus mandou aos discípulos preparar a Páscoa. Ali falou-lhes de entrega e doação, consagrou aquela hora de angústia numa Hora de Criatividade no Espírito, transubstanciou a violência que estava a sentir numa Hora de Liberdade e Testemunho. Desde essa Noite transformada em Dia, ecoa o “fazei isto em memória de Mim”, que é uma maneira de viver e também implica uma perspetiva nova … para a vista: “a sala de cima”, a varanda da Esperança.

Leia também  Salesianos em Aleppo: ficaremos enquanto alguém precisar de nós

Quanto mais nos apressamos, mais temos que cerrar os olhos. Basta pôr a cabeça de fora quando andamos de carro, que é uma lição que se aprende rápido. É por isso, Deus de toda a paciência, que me volto para Ti, como quem se recolhe e se encontra, para perceber do ritmo do teu próprio coração qual o compasso das coisas que permanecem.

Artigos Relacionados